A Série B do ASA e de outros dez clubes

Após o final de treze rodadas da Série B de 2013 é possível defendermos a hipótese da existência de duas competições, ambas disputadas dentro desse mesmo campeonato. A primeira composta por um grupo de clubes com “balas na agulha” suficientes ao ponto de pleitearem uma vaga na Série A da próxima temporada e a outra formada pelas equipes em luta pela sobrevivência, ou seja, em busca de um distanciamento cada vez maior da “zona da degola”.

 

Vemos no primeiro escalão, aqueles clubes com desempenho no gramado e na tabela de classificação que os colocam em destaque diante dos demais concorrentes. Nesse sentido, Palmeiras, Chapecoense, Sport, Paraná, Figueirense, América/MG e Joinville podem muito bem serem considerados, até aqui, os “bichos papões” da Série B 2013 do Campeonato Brasileiro de Futebol.

 

Os demais: Boa Esporte, Ceará, Icasa, Bragantino, Avaí, Oeste, Guaratinguetá, Atlético/GO, ASA, São Caetano, América/RN, Paysandu e ABC estão se enquadrando no contingente dos clubes com ojeriza da Série C, mas, por outro lado, com a toalha quase jogada em relação ao alcance da candidatura para a Série A em 2014.

 

Obviamente, em futebol, é temeroso dizermos: - dessa água jamais beberei, pois surpresas sempre dão o ar da graça, mesmo quando não são chamadas para o baile. Como exemplo, um Boa Esporte ou um Ceará podem ganhar corpo e entrarem no pelotão de cima da tabela, pois estão dando mostras de alguma vitalidade para tal façanha, apesar da pouca probabilidade lógica, se é que existe essa palavra no esporte bretão.

 

Pode-se, sim, sem medo de errar, cravar o acesso do Palmeiras como “favas contadas”, afinal a Série B não é lugar para um clube de tamanha expressão. Se houvesse uma bolsa de apostas oficial, não seria também zebra acreditar no acesso da Chapecoense, afinal o time vem mantendo regularidade desde a 1ª rodada. Aí sobrariam duas vagas para cinco clubes disputarem-nas.

 

Quanto ao rebaixamento, aí a “coisa pega”. Temos treze (!) clubes embolados. Uns mais bem posicionados na tabela e outros com o desespero em vias de bater à porta. Da mesma forma, também não seria absurda a crença em que Boa Esporte e Ceará vão, no mínimo, livrarem-se do rebaixamento. Esses dois formariam um terceiro grupo, situados numa hipotética "zona de conforto".

 

Os outros onze estão navegando no mesmo barco, afinal a distância do 10° colocado, o Icasa, para o 17°, o São Caetano, é de apenas três pontos. Para ilustrar, tivesse o ASA vencido o Sport na 12ª rodada estaria na 10ª posição, ocupada hoje pelo time do interior cearense.

 

Por que é importante discutir-se o tema em questão?

 

Para o torcider alvinegro arapiraquense entender que nada está perdido. Longe disso, a competição nem chegou a sua metade. Faltam ainda 25 rodadas! São 75 pontos a ser disputados, contudo se não é motivo (ainda) para o arranque dos cabelos (para quem os têm), também não o é para festejos, mas sim para possibilitarmos uma análise realista da atual situação em que se encontra o ASA gigante, ocupando a 16ª posição na tabela de classificação.

 

A iniciativa da diretoria de redução no preço dos ingressos teve a resposta positiva marcada pela maciça presença da torcida no jogo desta terça-feira, diante do Sport Recife, infelizmente para ver mais uma derrota dentro de casa, porém a rodada nos favoreceu pelos insucessos dos outros concorrentes diretos do ASA.

 

Vencendo a outra pedreira que virá na sexta-feira para Arapiraca, o América/MG, o alvinegro ganhará algumas posições importantes, pois na sequência virão o Avaí e o Guaratinguetá fora de casa em dois confrontos diretos contra o rebaixamento. É vencer ou vencer daqui em diante, senão ...