Raça, superação e uma vitória importantíssima.

(Foto:futebolalagoano.com)

A importância da conquista deste 2° turno não é mais segredo para ninguém. Todos sabem que o vencedor terá direito às vagas da Copa do Brasil e da Copa do Nordeste no ano vindouro, o que contribuirá enormemente para o recheio do calendário de dois representantes alagoanos nessas competições, em 2013, além disso, será meio caminho andado para o enriquecimento da galeria de títulos estaduais. Nesse último particular, o CSA não tem do que reclamar, afinal é disparadamente o maior detentor de troféus de campeão estadual em Alagoas.
O primeiro jogo das semifinais, ocorrido na tarde de ontem no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, foi uma prova viva da ânsia de vencer a tal empreitada, dada pelas equipes do ASA e do CSA no transcorrer da partida, pela garra e superação dos atletas em campo. Prevaleceu a equipe mais eficaz na conclusão das jogadas na meta adversária, bem como aquela com mais empenho na marcação.
Nesses aspectos, dois atletas de cada equipe merecem grande destaque: Audálio e Lúcio Maranhão, pelo lado alvinegro; Washington e o goleiro Flávio, do lado azul do gramado, no entanto, considerando o resultado final da partida, qual seja a vitória incontestável do ASA por dois a zero, os louros de uma vitória sempre devem ser destinados aos vencedores.
Estivéssemos aqui nos referindo a uma disputa olímpica, a medalha de ouro não tinha como ser negada a um verdadeiro gigante em campo, o polivalente Audálio, que fez, na minha modesta opinião, a sua melhor apresentação com a camisa do ASA. Por outro lado, a medalha de prata, com honras, seria do atacante Lúcio Maranhão, não só porque marcou os dois gols, mas também por não dar trégua à defesa azulina. Ao lado do inspiradíssimo Audálio, constituíram-se nos protagonistas de uma grande vitória, frente a um CSA embalado e em grande fase.
Nota negativa para a interdição das arquibancadas metálicas, que representam a metade da capacidade de público do Fumeirão, em plena fase decisiva do campeonato, o que praticamente obrigou a diretoria do alvinegro a majorar o preço dos ingressos. Isso somado à transmissão da partida em TV aberta para a cidade de Arapiraca, contribuiu para o afastamento de grande número de torcedores do estádio. Uma lástima!
Já o Sr. George Alves Feitoza fez uma boa arbitragem. Uma omissão disciplinar aqui, outra ali, mas nada que pudesse comprometer a sua atuação. Em minha opinião, é o melhor árbitro do futebol alagoano na atualidade. Calmo, equilibrado, não faz malabarismos autoritários; não se impõe pela distribuição de cartões, enfim, um grande profissional. Daria um 9,0 para ele.
Obviamente, não podemos dizer o mesmo do auxiliar Fernando Maciel, que fez um esforço imenso para atrapalhar o trabalho do seu colega do apito. Esse cidadão no começo do jogo errou, depois ele errou e errou mais uma vez, não satisfeito, seguiu errando, aí, para finalizar a sua infeliz atuação, errou novamente. Mas depois, no 2° tempo e nos acréscimos, ele se corrigiu, errou mais ainda. Após mais uns trocentos erros, ele terminou errando. Será que ele acertou o caminho de casa? Do jeito que errou ontem, acho que ainda está errando o caminho de volta.
No mais, espera-se outro grande jogo no próximo sábado, com a transmissão da TV Pajuçara ao vivo e em cores para a cidade de Maceió, a partir das 16 horas, afinal, ali será conhecido o outro finalista do melhor campeonato alagoano dos últimos tempos e que vença o melhor. Se considerarmos a classificação geral do campeonato, a Agremiação Sportiva Arapiraquense com sete pontos a frente do 2° colocado é a melhor equipe da competição e merece, como ninguém levantar a taça de campeão do 2° turno.
Força, garra e superação, ASA gigante!!!